08
Jun 10

1ª PARTE - CD

2º - PARTE - CARTAS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3º PARTE - VIDEO PUBLICITÁRIO

publicado por fabioof às 14:21

30
Mar 10
publicado por fabioof às 15:46

publicado por fabioof às 15:34

08
Jan 10

 

 

 

 

 

 

publicado por fabioof às 16:11

Nesta unidade de trabalho tinhamos que realizar uma musica que se relaciona-se com a unidade de trabalho 2 - Montagens.

 

 

publicado por fabioof às 15:41

12
Nov 09

Esta proposta de trabalho tinha como objectivo fazer colagens com o minimo de 20 imagens e um maximo de 40. Estas 20 a 40 imagens estavam divididas em:  5 a 10 imagens de pessoas, 5 a 10 imagens de objectos, 5 a 10 imagens de animais e 5 a 10 imagens de paisagens. 

 

 

IMAGEM FINAL

 

       

publicado por fabioof às 10:24

15
Out 09

 

 
A proposta de trabalho nº 1 divide-se em 4 partes fundamentais:
           
1ª Estudo de e cartazes, com as suas referencias à original, autor, processo utilizado, tamanho, etc. …
            2ª Estudo completo layout¹ de apenas 1 dos 3 cartazes apresentados na 1ª parte;
            3ª Estudos e definitivo layout a utilizar no cartaz concebido e realizado pelo aluno;
            4ª Cartaz definitivo, em formato A3 (297 x 429 mm), em posição de retrato (vertical) ou paisagem (horizontal), impresso a cores em papel de gramagem igual ou superior a 120 g/m². O cartaz deverá ter uma margem de impressão de 1 cm em todos os lados.
 
¹ esboço mostrando a distribuição física do trabalho.
 
 Trabalho Final
 
 

 

publicado por fabioof às 14:59

18
Set 09

 


  • Baseados em páginas
São desenvolvidos segundo uma estrutura organizacional do tipo espacial. Esta é uma organização semelhante à utilizada nos media tradicionais em suporte de papel como revistas, livros e jornais.

Em alguns produtos multimédia, os utilizadores podem consultar as suas páginas utilizando as hiperligações existentes entre elas. Neste tipo de produtos, as componentes interactiva e temporal podem estar presentes através da utilização de botões, ícones e scripts. Os scripts vão permitir a criação de pequenos programas para a execução de acções em determinadas situações como, por exemplo, a visualização de um vídeo ao fim de um determinado intervalo de tempo ou após um botão ter sido pressionado

  • Baseados no tempo
São desenvolvidos segundo uma estrutura organizacional assente no tempo. Esta é uma organização com uma lógica semelhante à utilizada na criação de um filme ou animação.
Durante o desenvolvimento deste tipo de produtos multimédia os conteúdos podem ser sincronizados permitindo assim definir o momento em que dois ou mais deles estão visíveis.
A interactividade neste tipo de produtos é adicionada através da utilização de scripts.

A componente da organização espacial é também, neste caso, utilizada durante a fase de desenvolvimento deste tipo de produtos.

 

Em ambos os tipos de produtos multimédia (baseados em páginas ou no tempo) as componentes espaço e tempo coexistem, distinguindo-se na estrutura organizacional utilizada como ponto de partida para a disposição dos conteúdos.

 

Multimídia e percepção: aspectos de uma interação humano-máquina

 

A multimídia é hoje um dos mais eficazes recursos para garantir a percepção e o acúmulo de conhecimento. Isso porque os recursos multimídia estimulam mais sentidos que as simples mídias. A partir do momento em que o usuário é estimulado em mais de um sentido, a capacidade de processamento e armazenamento das informações aumentam consideravelmente. Segundo Márcio Matias, o percentual de eficácia das principais mídias na percepção humana é de:

 

-Visual = 55% -Vocal = 38% -Textual = 7%

 

Quando combinadas, as mídias tendem a aumentar ainda mais essa percentagem. Isso ocorre pelo fato dos recursos multimídia serem mais parecidos com as experiências do cotidiano das pessoas. Torna cada vez mais interativo, cada vez mais real.

Essa interação humano-máquina proporcionada cada vez mais intensamente pelos recursos multimídia é o que o professor Marcelo Bolshaw chama de cibernética, ou seja, é por causa dessas interações que ele afirma que somos Cyborgs. Segundo ele, quando fazemos uso de um talher ou um automóvel, interagimos de maneira simbiótica com a máquina. A utilização dos recursos multimídia é justamente uma das formas mais eficazes de garantir um maior proveito dessa relação simbiótica entre humanos e máquinas.

publicado por fabioof às 16:01

17
Set 09

 


 

 

Este elemento multimédia que hoje é um verdadeiro símbolo da rede Internet, contém uma curiosa história, em que eu vou passar a apresentar:

 

-Google Inc. (NASDAQ: GOOG) é uma empresa desenvolvedora de serviços online, sediada nos Estados Unidos. O seu primeiro serviço foi o Google Search, hoje o serviço de busca mais usado no mundo, que foi criado a partir de um projecto doutorado dos estudantes Larry Page e Sergey Brin da Universidade de Stanford em 1996. Este projecto, chamado de Backrub, surgiu devido à frustração dos seus criadores com os sites de busca da época e teve por objectivo construir um site de busca mais avançado, rápido e com maior qualidade de ligações. Brin e Page conseguiram seu objectivo e, além disso, apresentaram um sistema com grande relevância às respostas e um ambiente extremamente simples. Uma das propostas dos criadores do Google era ter uma publicidade discreta e bem dirigida para que o utilizador perca o menor tempo possível, sem distracções.
A Google, hoje, fornece dezenas de outros serviços online, em sua maioria gratuitos, que incluem serviço de e-mail, edição e ainda partilha de documentos e planilhas, rede social, comunicação instantânea, tradução, partilha de fotos e vídeos, entre outros; assim como ferramentas de pesquisa especializada, que inclui, entre outras coisas, notícias, imagens, vídeos e artigos académicos. A maior parte das receitas da Google provêm do serviço Google AdSense, que é voltado para a publicidade online, por meio de links patrocinados.

 

 

 

 


E como surgiu a escolha do nome Google???


O nome Google foi escolhido devido a expressão googol, que representa o número 1 seguido de 100 zeros, para demonstrar assim a imensidão da Web.
A expressão googol surgiu de um facto muito curioso. O matemático Edward Kasner questionou o seu sobrinho de 8 anos sobre a forma como ele descreveria um número grande - um número realmente grande: o maior número que ele imaginasse. O pequeno Milton Sirotta emitiu um som de resposta que Kasner traduziu por "googol". Mais tarde, Kasner definiu um número ainda maior: o googolplex.
Segundo o documentário do Biography Channel sobre os criadores do Google, quando o primeiro investidor da empresa passou um cheque de 100 mil dólares perguntou a que ordem o devia passar. Brin e Page disseram que estavam a pensar dar o nome de "Googol" à empresa, mas o empresário, possivelmente por ignorância, escreveu "Google", obrigando, assim, a que a empresa tivesse este nome.
 
publicado por fabioof às 16:26

 

 

 

Partindo da etimologia da palavra, temos a sua divisão em duas palavras: multi; media.

 

 Ambas as palavras derivam do latim. A primeira deriva de multus que traduz-se por muitos e a segunda deriva de medium que traduz-se por meio. A junção das duas interpreta-se como sendo a utilização de muitos meios.

 

 Torna-se agora premente definir o que entendemos por meios ou media (entenda-se que o termo pode surgir nas duas formas atrás referidas, por isso passaremos a utilizar apenas a forma singular). Na verdade esta palavra tem vindo a ser utilizada nos mais diversos sectores da sociedade, mas fazendo uma análise mais apurada da sua utilização, conclui-se que está sempre associada à noção de informação:

 

 - Ao armazenamento e processamento de informação no âmbito da informática (storage media).

 

 - À produção de informação nas áreas da edição e publicação (mass media).

 

 - À distribuição de informação no âmbito dos mass media.

 

 - À transmissão de informação nas telecomunicações (transmission media).

 

 - À apresentação de informação nas disciplinas que estudam as interacções entre as pessoas e os sistemas (presentation media).

 

À percepção de informação na área que estuda a interacção das pessoas com o mundo

 

 exterior (perception media).

 

 Esta conclusão da associação à palavra informação, permite-nos refinar o conceito de

 

 multimédia: multimédia significa vários intermediários entre as fontes e o destino da

 

 informação, ou vários meios pelos quais a informação é armazenada, transmitida,

 

 apresentada ou percebida.

 

      É fácil entender que se trata de um conceito muito vasto. Nele podemos incluir por

 

 exemplo: um jornal; uma televisão; uma câmara de vídeo.

 

     Nesta disciplina não vamos utilizar este conceito tão abrangente e vamos reduzi-lo a um

 

 sentido mais específico, relacionando-o com o tratamento e processamento (manipulação) de informação digital controlada por computador.

 

     Vamos refinar um pouco mais o conceito de multimédia que verá agora associado o

 

 conceito digital.

 

      “Multimédia digital é a área relacionada com a combinação, controlada por computador, de texto, gráficos, imagens paradas e em movimento, animações, sons e qualquer outro meio pelo qual a informação possa ser representada, armazenada, transmitida e processada sob a forma digital.”

 

 Nesta tentativa de encontrar uma definição satisfatória para multimédia, concluímos que

 

 existe uma necessidade de utilização simultânea ou combinada de informação e de um

 

 controlo através de sistemas baseados em computador. Para além destas premissas, ainda existe a necessidade de caracterizar os tipos de media que podem ser integrados em aplicações ou sistemas multimédia.

 

 

 

Como tipos de media temos:

 

 - Texto;

 

 - Gráficos;

 

 - Imagens;

 

 - Vídeo;

 

 - Animação (gráficos com movimento);

 

 - Áudio.

 

 

 

Todos estes media têm uma característica comum. São representados sob a forma digital ou seja, são codificados por meio de dígitos binários ou bits.

 

Podemos agrupá-los numa tabela, quanto à sua origem e à sua natureza. Expostas aqui as necessidades que caracterizam a multimédia digital, uma questão se levanta.

 

 Basta combinar um par de tipos de media qualquer para obter multimédia? Na verdade, nem todas as combinações podem ser designadas multimédia. Existe uma exigência para que uma combinação de media possa ser multimédia. A combinação deverá combinar pelo menos um media estático com um media dinâmico.

 

 A introdução desta exigência permite-nos finalmente elaborar uma definição de multimédia digital:

 

 “Multimédia digital designa a combinação, controlada por computador, de texto, gráficos, imagens, vídeo, áudio, animação e qualquer outro meio pelo qual a animação informação possa ser representada, armazenada, transmitida e processada sob a forma digital, em que existe pelo menos um tipo de media estático (texto, gráfico ou igital, animação).

 

imagens) e um tipo de media dinâmico (vídeo, áudio ou animação) . ”

 

 Esta definição não é única pois existem vários estudiosos a elaborar definições ligeiramente diferentes. No entanto é aquela que tem reunido mais consenso.

 

 Bibliografia: Ribeiro, Nuno (2004). Multimédia e tecnologias interactivas. FCA – Editora de informática, Lda. ISBN – 972-722-415-6

 

 

 

publicado por fabioof às 11:19

Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
blogs SAPO